(11) 94604-1183 [Whatsapp]
Medo de Dentista : supere essa barreira com facilidade 0 (0)

Medo de Dentista : supere essa barreira com facilidade 0 (0)

Uma a cada quatro pessoas tem medo de dentista, mas há maneiras de superá-lo

 

Medo do dentista significa coisas diferentes para pessoas diferentes. Talvez seja o pensamento de que o tratamento vai doer, ou que os sons e cheiros irão trazer de volta memórias de experiências ruins da infância.

A boa notícia é que mais os dentistas estão passando a entender os temores de seus pacientes que sofrem com medo de dentista : com uma combinação de bondade e gentileza eles podem fazer muita coisa para fazer um tratamento dental sem estresse. Segundo uma conselheira do ramo odontológico, afirma que :

“As pessoas que possuem medo de dentista muitas das vezes pedem ajuda porque eles estão com as suas forças esgotadas : seus dentes estão abatidos ou elas sofrem de acentuada dor onde sonham que o dentista resolva de modo definitivo a situação dos seus dentes. Algumas pessoas possuem tanto medo de dentista que elas não visitam um há anos. É comum para nós ouvirmos de alguém com os seus 20 ou 30 anos, ou mesmo mais velhos que não vai ao dentista desde a infância. Recentemente, uma jovem de 16 anos cuja mãe possui tal fobia nunca tinha levado a filha ao dentista, e a anos depois a menina desejou desesperadamente fazer um check-up odontológico “

Avanços odontológicos

Se a anos você ainda não visitou um profissional por medo de dentista, tenha a absoluta certeza de que você encontrou a experiência mais tolerável do momento.

“A maioria das pessoas que tem medo de dentista possuem más recordações da infância por causa dos odores e sons da cirurgia”, diz a conselheira. “Consultórios de dentistas modernos são ambientes muito mais amigáveis por causa das flores na sala de espera, a arte nas paredes e uma área de recepção agradável com uma equipe educada. “É uma experiência mais agradável.

Claro, você ainda terá os cheiros e sons da cirurgia dental, mas estes são menos perceptíveis do que costumavam ser com instrumentos escondidos da vista ao mesmo tempo em que tocava uma música de fundo. Apesar das mesmas características, não são tão barulhento como eles costumavam ser “, acrescenta ela.

Os avanços tecnológicos melhoraram muito a área da odontologia, desta forma favorecendo a superação do medo de dentista para quem possui. Hoje em dia o tratamento pode ser completamente indolor.

A varinha dental (um sistema de injeção computadorizado que se parece com uma caneta e que aplica anestesia, sendo assim, indolor) é ótimo para qualquer pessoa com fobia a agulhas.

Um gel anestesiante também pode ser usado para anestesiar as gengivas antes de uma injeção para que o paciente não sinta a agulha.

8 dicas para aliviar o medo de dentista

Se você fica ansioso ao se deparar com um dentista, segue algumas dicas para aliviar o medo:

  • Peça indicação de um dentista : pergunte aos seus amigos e familiares se eles podem recomendar um ou procure alguém que possa te indicar que seja perito com pacientes ansiosos.
  • Depois que você encontrar aquele que você acredita ser  o profissional adequado, visite o local para conhecer a recepção, o dentista e observar o ambiente para ir se familiarizando. Diga ao dentista que você é ansioso para que eles saibam de antemão o seu perfil.
  • Reserve o compromisso logo pela manhã para que você tenha pouco tempo para pensar sobre o seu comparecimento e a atividade.
  • O primeiro contato será simplesmente um check-up, então não se preocupe com os equipamentos tais como a broca ou a agulha. Encare a sua primeira visita como a sua chance de conhecer o dentista.
  • Peça acompanhamento de um amigo ou familiar no primeiro comparecimento : o dentista não vai se importar em ver você acompanhado no seu primeiro check up.
  • Sinalize o dentista quando algo incomodá-lo ou quando precisar que ele dê uma pausa. Essa é uma forma simples de ajudá-lo a se sentir mais no controle.
  • Se você sentir que ele está te dando feedback, ou seja, harmonizando com a sua expectativa, inicie o tratamento com o mesmo e aumente gradualmente a complexidade do mesmo à medida que a sua confiança e o relacionamento com ele vai aumentando.
  • Se possível leve um dispositivo de áudio pessoal para você ouvir música durante a sua visita, pois irá ajudá-lo a relaxar.

 

Clínicas de sedação com NHS (óxido nitroso)

Se você é extremamente nervoso peça indicação ao seu dentista para encaminhá-lo para uma clínica de sedação com NHS. Estas clínicas odontológicas são especificamente para pacientes nervosos.

Algumas pessoas acham a sedação inalatória muito simples e útil para relaxá-los durante o tratamento odontológico, inibindo o medo de dentista.

É algo como como o gás fornecido durante o parto, mas em vez de ser inalado através de uma máscara, é fornecido por meios alternativos à ela.

Pessoas extremamente nervosas preferem a sedação intravenosa (através de uma injeção em sua mão ou braço) durante o tratamento, a qual não irá te induzir ao sono, pois você estará acordado e será capaz de falar com o dentista.

A diferença é que irá acalmá-lo e relaxá-lo tão profundamente que você provavelmente não irá se lembrar exatamente do que aconteceu.

Gostou deste artigo ? Por favor, compartilhe !

Doenças causadas pelo cigarro : conheça algumas delas à saúde bucal 0 (0)

Doenças causadas pelo cigarro : conheça algumas delas à saúde bucal 0 (0)

Conheça algumas das enfermidades e doenças causadas pelo cigarro, maléficas para a sua saúde bucal :

Por que fumar pode levar à gengivite?

Doenças causadas pelo cigarro surgem pelo uso de produtos à base de tabaco, dentre elas, as doenças da gengiva, por afetar a fixação do osso e o tecido mole para seus dentes. Mais especificamente, fumar interfere na função normal das células do tecido da gengiva.

Esta interferência faz com que os fumantes estejam mais suscetíveis a doenças causadas pelo cigarro tais como a doença periodontal, que também prejudicam o fluxo sanguíneo para as gengivas, o que pode afetar a cicatrização de feridas.

Todo tipo de fumo causa doenças dentárias?

Sim. Assim como cigarros, cachimbos e charutos também causam doenças bucais afetando a saúde dental.

De acordo com os resultados de um longo estudo de 23 anos os fumantes de charutos experimentam a perda do alvéolo dentário e a perda óssea (perda óssea no maxilar que ancora dentes) com taxas equivalentes às de fumantes de cigarro.

Fumantes de cachimbo também têm fazem parte do grupo de classificação dad doenças causadas pelo cigarro, como por exemplo, por estarem expostos ao semelhante risco de perda dentária como todo fumante de cigarro.

Além destes riscos, cachimbos e charutos também causam aos seus fumantes o risco de câncer de boca e faringe (garganta).

Mesmo que eles não inalem a fumaça, além de outras consequências orais, causam mau hálito, dentes manchados e o aumento do risco de periodontite (doença da gengiva).

 

Então quer dizer que produtos à base do tabaco sem fumaça são seguros ?

Não. Assim como charutos e cigarros, produtos de tabaco mesmo sem fumaça (rapé e fumo de mascar por exemplo) contêm pelo menos 28 produtos químicos que têm mostrado tendência para o risco de câncer de boca, câncer de garganta e esôfago.

Na verdade, fumo de mascar contém níveis mais elevados de nicotina do que de cigarros, tornando mais difícil parar de fumar do que os cigarros. E uma lata de rapé possui mais nicotina do que mais de 60 cigarros.

Além do mais, o tabaco sem fumaça pode irritar o seu tecido gengival, causando o recuo e o afastamento entre os dentes. Uma vez que o tecido da gengiva recua as raízes dos dentes se tornam expostas, criando um risco aumentado de cárie dentária.

Raízes expostas também são mais sensíveis à temperaturas tanto frias quanto quentes além de outros fatores irritantes, tornando desconfortável no beber e no comer. Além disso, os açúcares, que são muitas vezes adicionados para melhorar o sabor do tabaco sem fumaça, pode aumentar ainda mais o risco de cárie dentária.

Um estudo publicado no Journal of the American Dental Association mostrou usuários que mascam tabaco foram quatro vezes mais propensos que os não usuários de desenvolverem cárie dentária e outras doenças causadas pelo cigarro e seus derivados.

Tabaco sem fumaça também contém tipicamente areia e outros detritos, que podem desgastar os dentes.

abandonar-cigarro

Abandone o hábito de fumar

Independentemente de quanto tempo você faz uso de derivados do tabaco como cigarros, parar agora pode reduzir muito os sérios riscos para a sua saúde e outras doenças causadas pelo cigarro .

11 anos após parar de fumar, o risco de ex-fumantes desenvolverem periodontite não foi diferente das pessoas que nunca fumaram. Reduzir a quantidade que se fuma já é um bom começo.

Um estudo descobriu que fumantes que reduziram o hábito de fumar menos de meio maço por dia tinham apenas três vezes o risco de desenvolverem doença de gengiva e outras doenças causadas pelo cigarro, em comparação com os não fumantes.

Outro estudo publicado no Journal of the American Dental Association constatou que uma boca com lesão de leucoplasia foi completamente sarada dentro de 6 semanas após 97,5% dos pacientes pararem de fumar derivados de tabaco sem fumaça. Algumas estatísticas apresentam outras sérias razões para parar de fumar.

Elas afirmam que, cerca de 90% das pessoas que desenvolvem câncer da boca, lábios, língua, garganta é por fazer uso de tabaco, cigarros, etc, sofreram o risco de desenvolverem esses tipos de cânceres aumentado devido à quantidade fumada ou mastigada.

Fumantes são seis vezes mais propensos do que os não fumantes a desenvolverem esses tipos de câncer :cerca de 37% dos pacientes que voltam a fumar após aparente cura de seus cânceres voltam a desenvolver um segundo câncer da boca, lábios, língua e garganta, em comparação com apenas 6% das pessoas que param de fumar.

Como posso deixar de fumar ?

Para parar de fumar é uma virtude que o seu dentista ou médico pode ajudá-lo e orientá-lo em como diminuir o desejo por nicotina com medicamentos tais como goma de nicotina dentre outros.

Alguns destes produtos podem ser adquiridos em farmácias e outros exigem receita médica.

Aulas de cessação do tabagismo e grupos de apoio são muitas vezes utilizados em conjunto com a terapia medicamentosa.

Estes programas são oferecidos através de hospitais e ong’s locais em sua comunidade e, por vezes, através de seu empregador ou seguro saúde particular ou da empresa.

Pergunte ao seu médico ou dentista para obter informações sobre programas similares que possam estar familiarizado.

 

Gostou deste artigo ? Por favor, compartilhe !

Cárie Dental, o Ataque Ácido 0 (0)

Cárie Dental, o Ataque Ácido 0 (0)

 Muitas pessoas consomem refrigerantes, sucos de frutas (sim, a frutose é ácida) e alimentos altamente ácidos todos os dias, mas provavelmente não percebem que eles podem estar prejudicando os seus dentes.

O ácido dos alimentos que comemos e bebemos podem desgastar o esmalte do dente ao ponto deles se tornarem sensíveis e desbotados.

Em muitos casos não é o que você come e bebe que é tão importante, mas o quanto como você consome desses alimentos.

O que é a erosão dentária?

Erosão ou o desgaste dentário, mais conhecido como cárie dental, é a perda da estrutura do dente causada pelo enfraquecimento do esmalte, que é a camada fina exterior do tecido rígido que ajuda a manter a estrutura e a forma do dente. Quando o esmalte enfraquece, que expõe a dentina subjacente (o tecido que constitui o núcleo de cada dente), faz com que os dentes adquiram coloração amarelada.

O que causa erosão dentária?

Erosão dentária pode ocorrer quando o esmalte dos dentes é enfraquecido pelo ácido encontrado em muitos alimentos e bebidas. Normalmente, o cálcio contido na saliva ajuda na remineralização (ou fortalecimento) dos dentes depois de consumir pequenas quantidades de ácido.

No entanto, a presença de uma grande quantidade de ácido na boca não permite a remineralização. Os ácidos podem vir de diversas fontes, incluindo as seguintes:

Bebidas carbonatadas – todos os refrigerantes (inclusive os lights e dietéticos) são grandes causadores de cárie dental pois contêm uma grande quantidade de ácido que podem dissolver o esmalte de seus dentes muito rapidamente.

Vinhos e sucos de fruta – sucos e vinhos possuem efeitos similares sobre seus dentes, pois eles contêm ácido.

Frutas, picles, iogurte e mel – estes alimentos também são ácidos; não deixe-os em sua boca ou escove os dentes imediatamente após o consumo deles. Ao comê-los engula assim que você mastigá-los suficientemente.

Bulimia e refluxo ácido –  estes também podem causar danos aos dente através do ácidos do estômago quando entram em contato com os dentes. Ajuda médica e odontológica devem ser procurados para quem sofre de qualquer uma destas condições.

Alguns sinais de erosão dentária

Os desgastes ácidos podem levar a sérios problemas dentários.

É importante notar os sinais de erosão dentária logo em seus estágios iniciais (sensibilidade, descoloração e dentes arredondados) antes que danos mais graves ocorram (rachaduras, sensibilidade severa e outros problemas) :

Sensibilidade – quando o esmalte do dente é desgastado você pode sentir uma pontada de dor ao consumir alimentos e bebidas quentes, frios ou doce. À medida que o esmalte cada vez mais se desgasta os dentes se tornam cada vez mais sensíveis.

Descoloração – os dentes podem se tornar ligeiramente amarelados por conta da fina camada do esmalte que vai expondo a dentina subjacente.

Dentes arredondados – dentes que passam a ter uma aparência arredondada também não deixa de ser sinal de erosão dentária.

Transparência – os seus dentes da frente podem parecer translúcida em suas bordas cortantes.

Descoloração avançada – os dentes podem se tornar cada vez mais desbotados ou amarelados cada vez mais que a dentina é exposta à  perda de esmalte dentário a proteção dos mesmos.

Fissuras – Pequenas fissuras e rugosidades podem aparecer nas bordas dos dentes.

O que posso fazer para prevenir a erosão dentária?

Existem diferentes razões pelas quais você pode sofrer erosão dentária, como pelo impacto ácido das bebidas carbonatadas (refrigerantes), beber grandes quantidades de suco ou vinho e transtornos alimentares por exemplo.

Converse com o seu dentista para adoção de hábitos e rotinas a serem adotadas como métodos preventivos.

Esteja sempre antenado sobre como você consome alimentos ácidos e se você pode continuar consumindo as coisas que você aprecia.

A seguir algumas maneiras gerais para proteger os dentes:

Reduza ou elimine a ingestão de refrigerantes – em vez disso, beba água, leite ou chá, mas evite o açúcar e o mel !

Ou se for impossível não consumi-los, evite mantê-los em sua boca por longos períodos (escove os dentes imediatamente após os seu consumo); engula assim que você mastigá-los o suficiente para que eles estejam prontos para serem digeridos.

Em vez de lanches de alimentos ácidos ao longo do dia, coma-os apenas durante as principais refeições, a fim de minimizar a quantidade de tempo de impacto do ácido sobre os dentes.

Depois de consumir alimentos ou bebidas altamente ácidas, enxague a boca com água para neutralizar os ácidos. Mascar chiclete sem açúcar para produzir mais saliva, pois isso ajuda na remineralização dos dentes.

Escove com uma escova macia e não se esqueça de atentar para a qualidade da sua pasta de dentes, ou solicite ao seu dentista a recomendação ideal de utilização diária de um creme dental específico para o seu caso para reduzir a sensibilidade, ou outros produtos para combater os efeitos do desgaste.

Sorriso bonito e saudável para você e sua família !

Contrate o plano Amil Dental Pessoa Física totalmente online e ganhe 15% de desconto e isenção de carências, no pagamento com cartão de crédito ou boleto à vista.

Higiene Bucal e Corpo Saudável 0 (0)

Higiene Bucal e Corpo Saudável 0 (0)

Cuidar bem da sua boca, dentes e gengivas, faz mais do que ajudar a garantir um sorriso limpo e brilhante

Boca e corpo saudável andam de mãos dadas. Uma boa higiene oral, profilaxia e saúde bucal podem melhorar a sua saúde geral, reduzindo o risco de doenças graves, prevenir doenças bucais e, talvez até mesmo, preservar a sua memória em seus anos dourados. A frase, “a saúde começa pela boca” é realmente pura verdade e é apoiada pela crescente evidência científica.

Nunca é cedo demais para começar a ensinar os seus filhos a cuidarem dos seus dentes e gengivas: hábitos saudáveis se aprende na infância para regozijar na idade adulta.

E, se você está tentado se livrar de seus bons hábitos de higiene oral – escovação, fio dental e visita regular ao seu dentista – lembre-se que você é um modelo para os seus filhos.

Tenha em mente que estas seis maneiras saudáveis para os dentes e gengivas melhorarão a saúde geral.

Aumenta a sua auto-estima e confiança

Dentes cariados e doença gengival são frequentemente associados não somente esteticamente, mas também com muito mau hálito – tão ruim que pode afetar a sua confiança, a sua autoimagem e a autoestima.

Com uma boca saudável que está livre de doenças da gengiva e cáries, a sua qualidade de vida também é obrigada a ser melhor – você pode comer corretamente, dormir melhor, e concentrar-se sem dentes doloridos ou infecções bucais para distraí-lo.

Pode reduzir o risco de doença cardíaca 

Inflamação crônica pela doença gengival tem sido associada com o desenvolvimento de problemas cardiovasculares tais como doença cardíaca, bloqueios de sangue, vasos e acidentes vasculares cerebrais.

Especialistas não cansam de dizer que há uma causa e efeito entre a periodontite com outros problemas graves de saúde mas o elo tem aparecido em numerosos estudos.

As conclusões destes estudos podem sugerir que a manutenção da saúde bucal pode ajudar a proteger a saúde geral.

Preserva sua memória 

Adultos com gengivite (inchaço, sangramento nas gengivas) tiveram baixo desempenho em testes de memória e outras habilidades cognitivas do que aqueles com gengivas e bocas saudáveis, de acordo com estudos.

Aqueles com gengivite eram mais propensos a serem mal sucedidos em dois aspectos: recordação verbal e da memória – ambas as habilidades utilizadas na vida cotidiana.

Usar antisséptico bucal antibacteriano ou creme dental pode ajudar a reduzir as bactérias na boca que causam gengivite.

Reduza os riscos de infecção e inflamação em seu corpo

Saúde oral pobre está intimamente relacionada com o desenvolvimento da infecções em outras partes do corpo.

Descobriu-se por Investigações a associação entre doenças da gengiva e artrite reumatóide, uma doença auto imune que provoca a inflamação das articulações.

Especialistas dizem que o mecanismo de destruição dos tecidos conjuntivos em ambas doenças, da gengiva e AR é semelhante. Manter uma dieta equilibrada, visitar o seu dentista regularmente e uma boa higiene bucal ajudam a reduzir os riscos de cárie dentária e doença periodontal.

Certifique-se de escovar os seus dentes duas vezes por dia e usar fio dental uma vez por dia.

Ajuda a manter estável o nível de açúcar no sangue se você tem diabetes

Pessoas com diabetes descontroladas muitas vezes desenvolvem periodontite com facilidade,pois a primeira pode torná-lo menos capaz de combater infecções, incluindo infecções na gengiva que podem levar a outras doenças gengivais.

Alguns especialistas descobriram que se você tem diabetes, você é mais propenso a desenvolver problemas de gengiva mais graves do que alguém sem diabetes e consequentemente pode tornar mais difícil para controlar os níveis de açúcar no sangue. Reduzir o risco de gengivite protegendo a sua saúde oral pode ajudar o controle de açúcar no sangue se você tiver sido diagnosticado com diabetes.

Mulheres grávidas 

As mulheres podem experimentar aumento da gengivite durante a gravidez.

Algumas pesquisas sugerem uma relação entre a doença da gengiva com parto prematuro, bebês com baixo peso.

Nem todos os estudos encontraram uma ligação sólida, mas manter uma boa saúde bucal é ainda a melhor solução. Se você estiver grávida, visite o seu dentista ou periodontista como parte de seu pré-natal.

Considere isso como boas práticas para servir de papel modelo a todos novos pais.

Como Evitar o Mau Hálito 0 (0)

Como Evitar o Mau Hálito 0 (0)

Experimente estes simples passos para manter a sua boca limpa e fresca e melhore o seu hálito mantendo os dentes e as gengivas saudáveis.

1. Escove e use o fio dental com mais frequência

Placa bacteriana, que é o acúmulo pegajoso em seus dentes, é um terreno férfil de bactérias que causam mau hálito. Restos de alimentos também contribuem para o problema.

Escove os dentes pelo menos duas vezes por dia e use o fio dental pelo menos uma vez também ao dia. Se você estiver preocupado com o seu hálito, faça as duas coisas com mais frequência diariamente mas no entanto não exagere as coisas, pois escovação em excesso pode desgastar os dentes tornando-os vulneráveis ​​à deterioração.

2. Enxague bucal

Além de refrescar o seu hálito, o bochecho adiciona proteção extra por se livrar de bactérias.

Um sabor mentolado fresco pode fazer você se sentir melhor.

Mas tenha certeza de que o enxaguatório bucal que você escolher mata os germes que causam mau hálito, pois não basta eliminá-lo somente pois até uma simples bala de hortelã resolve isso.

O ideal é lavar diariamente com um bom anti-séptico bucal para combater o mau hálito na sua fonte.

Você também pode melhorar o hálito se você enxaguar a boca com água depois de se alimentar. Isso pode remover as partículas de alimentos que ficam presas nos seus dentes.

3. Raspe a sua língua

O revestimento que normalmente se forma na sua língua pode ser um perfeito oásis para as bactérias que causam mau hálito. Para se livrar delas escove suavemente a língua com a sua escova de dentes.

Se o seu pincel é grande demais para chegar confortavelmente à parte de trás de sua língua, tente um raspador.

Eles são projetados especificamente para ser aplicado sob pressão em toda a superfície da área da língua. Isso remove bactérias, restos de comida e células mortas que somente a escovação não pode resolver.

4. Evite alimentos que azedam o seu hálito

Alhos e cebolas especialmente, são saudáveis e muito importantes na dieta para a saúde geral do organismo, pois possuem ação fungicida e antioxidante dentre diversos outros benefícios, porém, eles são grandes criminosos para pessoas suscetíveis a desenvolverem mau hálito permanente, onde nem sempre escovar os dentes depois de comê-los ajuda.

As substâncias que causam o mau hálito fazem o seu caminho em sua corrente sanguínea e viajam para os pulmões, onde o ar é devolvido pra fora.

Então neste caso, qual seria a melhor alternativa para evitar o mau hálito?  Simplesmente não comê-los, ou pelo menos evitá-los antes de ir para o trabalho ou ver os amigos.

Saúde Dental e Saúde Geral 0 (0)

Saúde Dental e Saúde Geral 0 (0)

A condição de sua boca está intimamente ligada à sua saúde geral. Descubra como a saúde bucal está ligada a diabetes, doenças cardíacas, câncer e muito mais.

Cuidar de seus dentes não é apenas ter um belo sorriso e hálito agradável. Uma pesquisa recente revelou uma série de ligações entre saúde bucal e saúde em geral.

Embora em muitos casos, a natureza dessa ligação ainda não esteja clara, os pesquisadores ainda têm de concluir se as conexões são por causas ou correlativas.

A certeza é que a condição de sua boca está intimamente ligada à sua saúde física geral.

Saúde Dental e Diabetes

Os médicos sabem há anos que os diabéticos tipo 2 têm maior incidência de periodontite ou doença gengival.

Em julho de 2008 a conexão ficou mais evidente: pesquisadores da Escola Mailman de Saúde Pública da Universidade de Columbia seguido 9.296 participantes não-diabéticos, mediram os seus níveis de bactérias periodontais ao longo de 20 anos.

“Descobrimos que as pessoas que tinham níveis mais elevados de doença periodontal tiveram um risco duas vezes maior de desenvolver diabetes tipo 2 ao longo desse período em comparação com as pessoas com níveis baixos ou sem a doença”, explica Ryan Demmer, PhD, pesquisador associado no Departamento de Epidemiologia na Escola Mailman e autor.

Enquanto mais pesquisas são necessárias antes que os médicos possam concluir que a doença periodontal, na verdade, leva à diabetes, já existem algumas teorias sobre por que isso pode ser o caso: uma propõe que quando as infecções na boca ficam ruim o suficiente, elas podem levar à baixa qualidade e inflamação por todo o corpo, que por sua vez causa estragos em suas habilidades de processamento de açúcar.

“Há todos os tipos de moléculas inflamatórias”, diz Dr. Demmer “, e acredita-se que talvez algumas atribuem a receptores de insulina e impedem as células do corpo de utilizar a insulina para obter glicose para dentro da célula.”

Saúde bucal e doença cardíaca

Tal como acontece com diabetes, a ligação entre má saúde bucal e doenças cardiovasculares tem sido reconhecido – os dois são frequentemente encontrados juntos, mas ainda não foi determinado de forma conclusiva se existe ou não uma relação direta entre eles (uma razão é que há uma série de outros fatores de riscos potenciais, como o tabagismo e a idade avançada,  q​ue também pode levar tanto à gengivite como também à doença cardíaca).

No entanto, em um estudo de 2005 financiado pelo NIH, 1.056 participantes selecionados aleatoriamente que jamais sofreram ataques cardíacos anteriores ou acidentes vasculares cerebrais foram avaliados por níveis de bactérias periodontais: depois de remover os efeitos de outros fatores de risco como idade, sexo e tabagismo, constatou-se que houve uma relação independente entre doença gengival e doença cardíaca, diz Moise Desvarieux , MD, PhD, professor associado de epidemiologia na Escola Mailman e autor principal do estudo.

Uma teoria sobre por que isso pode ocorrer, diz o Dr. Desvarieux que pequenas quantidades de bactérias entram na corrente sanguínea, enquanto você está mastigando.

Bactérias “ruins” de uma boca infectada podem apresentar-se dentro dos vasos sanguíneos, em última análise, causando bloqueios perigosos. Reforçar a sua teoria é o fato de que quando os cientistas analisaram os vasos sanguíneos ateroscleróticos, por vezes, encontraram fragmentos de bactérias periodontais.

Enquanto isso, um estudo publicado no New England Journal of Medicine, em 2007, estabeleceu que o tratamento agressivo da doença gengival reduz a incidência de aterosclerose no prazo de seis meses.

Complicações na gravidez e periodontite

Para muitas mulheres grávidas, infecções na gengiva decorrem pela flutuação dos níveis hormonais que vêm acompanhada com a gravidez, diz Marsha Rubin, DDS, diplomata da odontologia nos cuidados especiais de New York-Presbyterian / Weill Cornell, que observou muitas pacientes grávidas em sua prática. Outras negligenciam a higiene bucal durante a gravidez, já que elas têm muito em suas mentes, acrescenta.

Mas isso é um erro: os cientistas acreditam que a doença periodontal ou inflamação na boca, possivelmente, desencadeia um aumento de um composto químico chamado prostaglandina, que induz ao parto prematuro.

Embora esta teoria ainda não foi confirmada, um estudo de 2001 descobriu que as mulheres grávidas que desenvolvem a doença entre a vigésima primeira e a vigésima quarta semana possuem de quatro a sete vezes mais probabilidades de dar à luz antes da trigésima quinta e a trigésima sétima semana.

Há evidências de que a saúde precária  na periodontite aguda pode levar ao baixo peso ao nascer também. Uma série de estudos – incluindo um estudo de 3.567 mulheres turcas 2007 e um estudo de 1.305 mulheres brasileiras em 2007 – encontrou uma relação entre a doença periodontal, parto prematuro e baixo peso ao nascer.

Pneumonia e periodontite Houve uma ligação estabelecida entre má saúde bucal e pneumonia, embora grande parte da pesquisa se ​​concentra em populações de alto risco.

Um estudo de 2008 descobriu idosos participantes de que o número que desenvolveu pneumonia foi 3,9 vezes maior nos pacientes com infecção periodontal do que naqueles livres dela.

“Os pulmões estão muito perto da boca”, diz Rubin. “Mesmo em uma boca saudável, há lotes de bactérias, mas em uma boca não-saudável pode se aspirados para dentro dos pulmões, causando pneumonia e DPOC agravante, doença pulmonar obstrutiva crônica.”

Vários estudos de intervenção citadas pelo CDC mostram que uma melhoria na saúde oral podem conduzir a uma redução na infecção respiratória. Cancro do pâncreas e periodontite Um estudo publicado em 2007 no Journal of the National Cancer Institute forma pesquisados ​​51,529 homens americanos sobre a sua saúde a cada dois anos, entre 1986 e 2002.

Dos 216 participantes que desenvolveram câncer de pâncreas, 67 deles também tinha a doença periodontal. Independente do grau de tabagismo dos participantes, o estudo descobriu que ter um histórico de doença periodontal foi associado com um risco aumentado de câncer de pâncreas.

Este, de acordo com o estudo, poderia ser por causa de inflamação sistêmica ou aumento dos níveis de compostos cancerígenos produzidos na boca infectada. Curiosamente, uma outra teoria viável diz o por quê a periodontite também poder causar diabetes tipo 2 por danificar ao pâncreas também.

“Com o estudo do câncer de pâncreas, nós pensamos que era muito interessante que você tem essa infecção localizada que tem um impacto sobre um órgão sistêmico que está muito intimamente ligado à fisiopatologia do diabetes”, diz Dr. Desvarieux.

Razões pelas quais isso pode ser ainda desconhecidos.

Acrescente vida aos seus dentes 0 (0)

Acrescente vida aos seus dentes 0 (0)

Aumente a expectativa de vida aos seus dentes e mantenha-os protegidos com essas 11 dicas caseiras sobre como consumir determinados alimentos e bebidas : O chá é uma bebida saudável, porém, pode não ser uma boa escolha para manter os seus dentes claros. Além do mais,...

read more
Cárie Dental, o Ataque Ácido 0 (0)

Cárie Dental, o Ataque Ácido 0 (0)

 Muitas pessoas consomem refrigerantes, sucos de frutas (sim, a frutose é ácida) e alimentos altamente ácidos todos os dias, mas provavelmente não percebem que eles podem estar prejudicando os seus dentes. O ácido dos alimentos que comemos e bebemos podem desgastar o...

read more

Sorriso bonito e saudável para você e sua família !

Contrate o plano Amil Dental Pessoa Física totalmente online e ganhe 15% de desconto e isenção de carências, no pagamento com cartão de crédito ou boleto à vista.