A Importância da Saúde Bucal Durante a Gestação 0 (0)

A Importância da Saúde Bucal Durante a Gestação 0 (0)

RESUMO: A saúde bucal durante a gestação é um componente importante da saúde geral e deve ser uma prioridade durante a gravidez e, é claro, durante a a vida da mulher. A manutenção de uma boa saúde oral pode ter um efeito positivo sobre as doenças cardiovasculares, diabetes e outras enfermidades. Estima-se que pelos menos 30% das mulheres não realizaram visita ao dentista nos últimos 12 meses e pouco mais de 50% delas não visitam um dentista durante a gestação. O acesso ao atendimento odontológico está muitas das vezes diretamente relacionado ao nível da renda : as mulheres de menor recurso aquisitivo possuem menor probabilidade de ter recebido atendimento odontológico. Higiene bucal integral materna durante o período de gravidez pode diminuir a quantidade de bactérias orais produtoras de cárie transmitidos para a criança e, embora alguns estudos tenham mostrado uma possível associação entre a infecção periodontal e o nascimento prematuro, a evidência não demonstrou qualquer melhoria nos resultados após o tratamento odontológico durante a gravidez. No entanto, estes estudos não levantaram qualquer preocupação com a segurança dos serviços dentários durante a gravidez. Para potencializar a saúde geral e o bem-estar, as mulheres devem rotineiramente serem aconselhadas sobre a manutenção dos bons hábitos da saúde oral ao longo da vida, bem como da segurança e a importância dos cuidados de saúde oral durante a gravidez.


Relatórios de organizações relacionadas à saúde afirmam que uma “epidemia silenciosa das doenças bucais está afetando os cidadãos mais vulneráveis”, incluindo os pobres e muitos dos grupos minoritários étnicos e raciais, onde a saúde bucal, o que inclui a saúde da gengiva, dentes e mandíbula, é um “espelho para a saúde geral e bem-estar”.

O Programa Mundial da Organização Mundial da Saúde Oral enfatiza essa relação e observa que a saúde bucal é um fator determinante para a qualidade de vida.

Para prevenir a cárie dentária, infecções orais e perda dos dentes recomenda-se exames semestrais e limpezas dentais, bem como escovação diária e uso do fio dental, e isso também deve ser mantido durante a gravidez.

Saúde geral

Distúrbios da saúde oral tais como periodontite estão associados com muitos processos de doenças incluindo as cardiovasculares, diabetes, doença de Alzheimer, infecções respiratórias, bem como a osteoporose da cavidade oral. Estas são todas as doenças significativas que afetam as mulheres ao longo da vida.

A prevenção e o tratamento destas doenças são essenciais para o bem-estar geral.
A eficácia da prevenção contra a endocardite entre os pacientes que se submetem a procedimentos odontológicos tem sido controverso com base em estudos publicados.
No entanto, a recomendação de que a profilaxia para procedimentos odontológicos seja razoável apenas para pacientes com problemas cardíacos que os colocam em maior risco de resultados adversos de endocardite.
Para os pacientes com essas condições, a profilaxia é razoável para todos os procedimentos odontológicos que envolvem a manipulação de tecido gengival ou da região periapical de dentes ou perfuração da mucosa oral.
Sendo assim, é importante que os pacientes discutam  a detecção do câncer bucal com os seus dentistas.
Embora haja uma conscientização para a manutenção da boa saúde bucal através de hábitos como uma boa escovação e o uso de fio dental, nascem aproximadamente 30 a 40 mil novos casos de câncer de boca a cada ano com óbitos anuais que beiram 8 mil pessoas.

A infecção por papilomavírus humano (HPV) é uma das causas de câncer bucal e HPV e que pode ser transmitido através do sexo oral. Evidências sugerem que existe um aumento no câncer oral relacionados ao HPV; no entanto, mais pesquisas são necessários para entender a saúde pública e as implicações clínicas.

Gravidez

Alterações fisiológicas durante a gravidez podem resultar em mudanças perceptíveis na cavidade oral.

saúde-da-gengiva
Estas alterações incluem a gengivite, lesões orais e gengivais benignas, a mobilidade do dente, erosão dentária, cárie e periodontite.
É importante que as mulheres saibam sobre essas várias alterações nos dentes e gengivas durante a gravidez para reforçar os bons hábitos da saúde bucal para manter as gengivas e dentes saudáveis :
Condições comuns da saúde bucal durante a gravidez
Gengivite na gravidez Aumento da resposta inflamatória à placa dental durante a gravidez faz com que a gengiva inche e sangre mais facilmente na maioria das mulheres. A lavagem com água salgada (ou seja, 1 colher de chá de sal em 1 xícara de água quente) pode ajudar a aliviar a irritação. Gengivite na gravidez ocorrem geralmente durante o terceiro trimestre. Mulheres que possuem gengivite antes da gravidez são mais propensas a exacerbação durante a gravidez.
Lesões gengivais orais benignas (conhecido como granuloma piogênico, granuloma gravídica ou epulis da gravidez)Em aproximadamente 5% das gestações, tais lesões de até 2 cm de diâmetro pode aparecer, geralmente na gengiva anterior. Essas lesões podem ser resultado de uma resposta inflamatória aumentada a agentes patogênicos orais e normalmente regridem após a gravidez. Uma excisão é raramente necessária mas pode ser usada se houver grave dor, sangramento ou quando interfere na mastigação.
Mobilidade dentáriaLigamentos e ossos que suportam os dentes podem se soltar temporariamente durante a gravidez, o que resulta em aumento da mobilidade do dente. normalmente não há qualquer perda de dentes a menos que outras complicações estejam presentes.
Erosão dentáriaErosão do esmalte dentário pode ser mais comum por causa do aumento da exposição ao ácido gástrico ou refluxo gástrico durante a gravidez. Lavagem com uma solução de bicarbonato de sódio (ou seja, uma colher de chá de bicarbonato de sódio dissolvido em um copo de água) pode ajudar a neutralizar o ácido associado.
Cáries dentáriasA gravidez pode resultar em cáries dentárias, devido ao aumento da acidez na boca, uma maior ingestão de lanches e bebidas secundárias para desejos de gravidez açucarados, e diminuição da atenção à manutenção da saúde bucal pré-natal.
PeriodontiteGengivite não tratada pode progredir para periodontite, uma resposta inflamatória no qual uma película de bactérias conhecida como placa adere aos dentes e libera toxinas bacterianas que criam focos de infecção destrutiva nas gengivas e ossos. Os dentes podem soltar, o osso pode ser perdido, e que pode resultar numa bacteremia.

Doença periodontal e resultados da gravidez

Aproximadamente 40% das mulheres grávidas têm algum tipo de doença periodontal.

Estudos realizados mostraram associação entre doença periodontal materna e nascimento prematuro.

Desde então, outros estudos apoiaram esse conclusão.

Teoricamente são transmitidas pelo sangue e bactérias anaeróbias negativas ou mediadores inflamatórios tais como lipopolissacáridos e citocinas podem ser transportados para os tecidos da placenta bem como para o útero.

Isso resulta em aumento de moduladores inflamatórios que podem precipitar o parto prematuro.

No entanto, recentes metanálises e outros grandes estudos não demonstraram qualquer benefício do tratamento periodontal durante a gestação na redução de parto prematuro e baixo peso no nascimento do bebê.

Do mesmo modo, tem havido resultados conflituosos em relação ao efeito da doença periodontal na pré-eclampsia.

É necessário mais investigação nestas áreas.

Estudos randomizados controlados de tratamento periodontal durante os períodos de gestação podem definir melhor se o tratamento pré-gestacional poderiam reduzir resultados adversos da gravidez.

Apesar da falta de provas de uma relação causal entre a doença periodontal e resultados adversos da gravidez, o tratamento da doença periodontal materna durante a gravidez não está associado com quaisquer desfechos maternos ou congênitas adversos.

Além disso, a terapia periodontal pré-natal está associada com a melhora da saúde bucal materna.

Avaliação de Saúde Oral e Aconselhamento durante a gravidez

A gravidez é um momento “dócil” quando as mulheres são motivadas a adotar um comportamento saudável.

Para as mulheres de nível socioeconômico mais baixo, gravidez proporciona uma oportunidade única para obter atendimento odontológico por causa da assistência com cobertura médica e odontológica pré-natal.

No entanto, a maioria das mulheres não procuram atendimento odontológico.

De acordo com dados de pesquisas, mais de 50% das mães não tiveram atendimento odontológico e 60% não tiveram seus dentes limpos durante a sua gravidez mais recente.

Parte delas, em torno de 24% a 25%, foram significativamente menos propensas a terem seus dentes cuidados durante a gravidez do que outra parcela.

Além disso, a maioria das mulheres, pouco mais de 50%  não receberam qualquer aconselhamento sobre saúde bucal durante a gravidez.

Aconselhamento pré-natal sobre cuidados de saúde oral tem demonstrado ser altamente correlacionada com a limpeza dos dentes durante a gravidez.

Equipes médicas de obstetrícia podem influenciar em ajudar as mulheres a iniciarem manter a saúde bucal durante a gravidez para melhorar os hábitos de higiene oral ao longo da vida e do comportamento alimentar não somente delas mas também para as suas famílias.

Por exemplo, as mulheres com má saúde bucal podem abrigar altos níveis de Streptococcus mutans na saliva.

Estas bactérias podem ser transmitidas para os seus bebês durante hábitos corriqueiros tais como compartilhamento de colheres ou ao lamberem as suas chupetas.

Minimizar o número de bactérias cariogênicas em mães grávidas através de uma boa saúde bucal pode atrasar ou impedir o início da colonização dessas bactérias em seus bebês, o que resulta em menos cárie na primeira infância.

Por outro lado, embora a maioria dos obstetras reconheçam a necessidade dos cuidados da saúde oral durante a gravidez, 80% deles não fazem uso de perguntas para a triagem da saúde bucal em suas consultas pré-natal, e 94% não se relacionam rotineiramente com os pacientes e nem com profissionais da área odontológica.

No entanto, a maioria dos obstetras e dentistas concordaram que as mulheres grávidas devem ser submetidas a serviços odontológicos mas muitos dentistas estavam preocupados com a segurança dos procedimentos e medicamentos durante a gravidez.

Obstetras geralmente são confortáveis ​​com pacientes submetidas a procedimentos dentários durante a gravidez, mas não tão provável que os dentistas recomendem atendimento odontológico para seus pacientes.

A melhoria da formação na importância da saúde bucal, o reconhecimento dos problemas de saúde oral, e o conhecimento da segurança dos procedimentos durante a gravidez podem tornar os prestadores dos cuidados da saúde mais confortáveis com a avaliação da saúde bucal e mais propensos a se relacionarem com os seus pacientes.

A maior carga das doenças bucais se encontra em populações pobres e carentes onde é observado uma necessidade não atendida para o atendimento odontológico.

Pouco mais de 35% das mulheres não visitaram o dentista no último ano e 56% também não o fazem durante a gravidez.

O acesso e o cuidado dentário geralmente estão diretamente relacionados ao nível de renda : as mulheres mais pobres possuem menor probabilidade de receber atendimento odontológico.

Além de restrições financeiras e falta de cobertura de um plano odontológico, as barreiras ao atendimento nesta área entre aquelas mal atendidas incluem a falta de educação, a falta de acesso ao transporte e a falta de prestadores odontológicos.

Outros fatores que complicam a saúde bucal entre os carentes incluem má nutrição e as altas taxas do uso de tabaco, álcool e uso de drogas ilícitas. Estes fatores também são aparentes durante a gravidez.

É importante que os obstetras estejam cientes da cobertura da saúde de seus pacientes para serviços dentários durante a gravidez para que referências a um provedor dental apropriado possam ser feitas.

É importante também que os mesmos encaminhem as mulheres para o atendimento odontológico em tempo hábil com uma nota escrita ou chamada, como seria a prática com referências a qualquer médico especialista.

Estabelecer relações entre o pré-natal e prestadores de saúde bucal na comunidade facilita uma abordagem colaborativa para as necessidades da saúde bucal das mulheres.

Conclusão

Atendimento odontológico regular é um componente chave para uma boa saúde bucal e geral.

Apesar da falta de provas de que cuidados de saúde oral pré-natal melhorem os resultados da gravidez, há evidências que mostram que a saúde bucal durante a gravidez é de fato seguro e deve ser recomendada para melhorar a saúde bucal e geral da mulher.

Saúde bucal melhorada da mulher pode diminuir a transmissão de bactérias potencialmente cariogênicas para os seus latentes e também reduzir o risco futuro das crianças de desenvolverem cárie.

Para muitas mulheres, ginecologistas e obstetras são os cuidados mais frequentemente acessados por elas, o que cria uma oportunidade única para educar as mulheres ao longo da sua vida útil incluindo o período de gravidez sobre a importância dos cuidados dentários e uma boa higiene oral.

Acrescente vida aos seus dentes 0 (0)

Acrescente vida aos seus dentes 0 (0)

Aumente a expectativa de vida aos seus dentes e mantenha-os protegidos com essas 11 dicas caseiras sobre como consumir determinados alimentos e bebidas : O chá é uma bebida saudável, porém, pode não ser uma boa escolha para manter os seus dentes claros. Além do mais,...

read more
Cárie Dental, o Ataque Ácido 0 (0)

Cárie Dental, o Ataque Ácido 0 (0)

 Muitas pessoas consomem refrigerantes, sucos de frutas (sim, a frutose é ácida) e alimentos altamente ácidos todos os dias, mas provavelmente não percebem que eles podem estar prejudicando os seus dentes. O ácido dos alimentos que comemos e bebemos podem desgastar o...

read more
Higiene Bucal e Corpo Saudável 0 (0)

Higiene Bucal e Corpo Saudável 0 (0)

Cuidar bem da sua boca, dentes e gengivas, faz mais do que ajudar a garantir um sorriso limpo e brilhante Boca e corpo saudável andam de mãos dadas. Uma boa higiene oral, profilaxia e saúde bucal podem melhorar a sua saúde geral, reduzindo o risco de doenças graves,...

read more
Higiene bucal infantil – conheça 9 mitos para questionar 0 (0)

Higiene bucal infantil – conheça 9 mitos para questionar 0 (0)

Sobre o assunto higiene bucal infantil, alguns acreditam que dominam o assunto em suas casas e famílias – mas os números alarmantes mostram que um terço delas começam a estudar já com cárie, o que mostra que não sejam os tais experientes que imaginavam ser.

Em alguns países (e no Brasil não pode deixar de ser diferente), internações de crianças em idade escolar primária por causa de cárie dental é uma realidade, onde quase 26 mil crianças com idade entre 5 e 9 anos foram internadas no hospital devido a várias extrações : quase 500 por semana.

Atualmente a saúde bucal é melhor do que a 30 anos atrás mas as melhorias declinaram quase na mesma proporção, e problemas tais como cárie dental tiveram relevante ascensão.

Dentistas apoiam que todos nós precisamos ficar melhores informados sobre a saúde dental das crianças. Então, segue 9 mitos populares sobre higiene bucal infantil :

 

1. “O suco de fruta é saudável”

Pode ate´ser saudável mas é tão nocivo quanto os refrigerantes são para os dentes, por dois motivos: açúcar e ácido.

Suco de laranja por exemplo, contém tanto açúcar quanto uma lata de coca cola (cerca de 10 g por 100 ml – ou 6 colheres de chá num copo de 250 ml) e suco de maçã possui ainda mais, pois é o açúcar que causa a cárie dentária enquanto que o ácido do suco corrói o esmalte – em casos extremos os dentes das crianças podem ser reduzidos a tocos.

As únicas bebidas que os dentistas recomendam são água e leite. Se eles desejarem sucos de frutas, o melhor a fazer é diluí-los em água ao máximo que puder e certifique-se de que sejam consumidos rapidamente para minimizar o tempo de contato com os dentes.

Diante deste contexto caótico para os mesmos, uma das piores coisas é se deparar com uma criança vagando pela casa com um copo de canudinho embutido tomando suco aos goles de hora em hora.

criança-bebendo-suco-de-frutaSucos de frutas podem ser saudáveis mas são tão destrutivos para os dentes quanto os refrigerantes.

 

2. “Para eles frutas secas são melhores do que chocolate”

Boa parte, senão toda uma geração de pais cresceu com a cultura do consumo de frutas secas tais como uvas passas, que sempre foram uma alternativa mais saudável aos doces e chocolates, mas infelizmente isso não é verdade, embora sejam muito saudáveis.

Dentistas também tem olhares críticos sobre elas porque também são cheias de açúcar além de serem pegajosas para os dentes, logo, também avariam o esmalte dos dentes, que se não houver um rígido acompanhamento e cuidado como por exemplo a escovação dos dentes após o seu consumo, também podem apodrecê-los.

Por outro lado, a boa notícia é que o melhor tratamento é algo que sai dos dentes rapidamente, e é por isso que o chocolate (quanto mais amargo melhor para os dentes e também para a saúde) é melhor do que frutas secas. Lanches mais seguros também incluem torradas integrais, queijo branco, nozes e sementes.

 

3. “Não se preocupe com os dentes de leite”

Isso parece ter uma certa lógica pelo fato dos “dentes de leite virem um dia cair de qualquer maneira”, mas isso é desastrosamente errado de levar ao pé da letra pois eles duram até a idade de 10 a 12 anos,ou seja, eles são uma mistura de dentes de leite com permanentes.

Se as cáries já habitam nos dentes de leite, os permanentes estarão comprometidos por causa desta corrosiva presença e também serão mais difíceis de serem eliminadas.

Neste caso, as extrações  poderão ser traumáticas, o que pode significar que as crianças seriam mais relutantes em visitar o dentista no futuro.

criança-visita-dentistaPara uma boa e efetiva higiene bucal infantil, a primeira visita ao dentista deve ser feita assim que os primeiros dentes começarem a nascer.

 

4. “Na higiene bucal infantil, os pais devem deixar as crianças escovarem os seus próprios dentes a partir dos 5 anos de idade”

O conselho ideal é de que os pais escovem os dentes de seus filhos até os 7 anos dependendo da maturidade do seu filho.

Isso garante que o pincel atinja todos os dentes durante a escovação para uma boa higiene bucal infantil, porém, é importante que os pais escovem os dentes das crianças ou pelo menos supervisionem até os 11, 12 anos de idade até que todos os dentes permanentes estejam plenamente estabelecidos, desta forma, minimizando a chance de possível decadência.

Já existe no mercado nacional um plano odontológico destinado exclusivamente para o púbico infantil, saiba mais aqui.

garotinho-comendo-iogurteConstantes atritos sem um plano específico de horários certos para alimentação é ruim para os dentes de leite na higiene bucal infantil, mesmo que consumam alimentos saudáveis com frequência durante um dia inteiro tais como iogurtes.

5. “Comer frutas é bom para os dentes”

Comer uma fruta inteira é muito melhor e mais saudável do que beber suco de frutas, porque, embora a fruta contenha açúcar, também possui fibra “que neutraliza os efeitos nocivos da frutose quando consumida comendo”, segundo o renomado cardiologista e nutrólogo Dr.Lair Ribeiro.

Por outro lado, quando se bebe o suco da fruta, o líquido e os açúcares passam longe dos dentes mas a frutose desce sem a fibra, o que não é nada saudável. Sendo assim, o ideal é comer a fruta.

Por ela ser um alimento importante o ideal seria dar de comer de 2 a 5 frutas por dia, mas essa sugestão de quantidade se enquadraria às crianças que não apreciam verduras e nem legumes  de jeito nenhum (às vezes por falta de estímulo dos pais).

Fora destas condições, quando a variedade de legumes e verduras faz parte da refeição, ater-se a uma ou duas frutas por dia no máximo está de bom tamanho, além de optar por frutas de baixo açúcar tais como morangos, framboesas, kiwis, pêssegos e pêras, em vez dos ricos em açúcar como uvas e abacaxi.

6. “As crianças devem escovar os dentes depois de comer”

Isso parece coerente para uma efetiva higiene bucal infantil mas na verdade é uma das piores coisas que você pode fazer, especialmente depois de comer ou beber algo ácido.

O motivo é que o ácido dos alimentos “desmineraliza” o dente além de amolecer o esmalte por uma hora após a refeição.

Se você escovar os dentes logo depois de comer você pode acabar literalmente desgastando o esmalte do dente, gradualmente e a longo prazo.

Sempre esperar pelo menos 1 hora após um simples mas caprichado enxague bucal com água e, se beberem suco no café da manhã, é melhor escovarem os dentes antes e não após a refeição.

É também sugerível para os filhos entre 12 e 17 anos mascarem chicletes sem açúcar para por 20 minutos após uma refeição pois eles estimulam a boca a produzir saliva, que é a nossa principal defesa contra as cáries, por neutralizarem os ácidos e induzindo a boca ao nível de pH neutro, além de favorecerem na mineralização dos dentes.

7. “Lanches saudáveis são tão bons quanto refeições normais”

Isso pode até ser verdade nutricionalmente mas o hábito de comer lanches de forma frequente e constante, mesmo saudáveis, é incrivelmente ruim para os dentes tais como as frutas, barras de cereais, iogurtes e cereais matinais.

Não é somente pela quantidade de açúcar, mas também pela frequência com que os dentes estão submetidos aos constantes ataques.

Mas isso não significa que jamais se deve sair da regra, abrir uma exceção, pois todos nós vivemos em um mundo real e as crianças são as primeiras a desejarem lanches.

Geralmente os dentes suportam 3 refeições e 3 lanches por dia, por isso, enquanto os bons dias superam os maus, deixemos rolar.

O que não pode fazer é comer somente lanches durante o dia: como o ataque ácido dura uma hora após cada evento, significa efetivamente que os dentes estão constantemente sob ataque.

8. “Escovas de dente elétricas são mais eficazes na higiene bucal infantil”

Se os seus filhos escovam os dentes além cada parte da boca por dois minutos pelo menos, não importa se a escova é manual ou elétrica, mas segundo pesquisas, apenas um quarto das crianças com idade média de 8 anos sabem gerenciar  2 minutos de escovação, sendo assim, o temporizador que normalmente vem com escovas elétricas podem fazer toda a diferença.

Dois minutos é muito tempo para uma criança, então neste caso o temporizador se torna o diferencial da escova elétrica.

9. “Você não precisa levar os seus filhos ao dentista até o seu primeiro aniversário”

Segundo uma pesquisa realizada, 57% dos pais esperaram até que seus filhos completassem pelo menos 1 ano de idade para levá-los ao dentista, mas a primeira visita deve ser logo que os dentes começam a nascer, que já começa a ocorrer antes deste tempo.

A vantagem e o benefício de levá-los ao dentista para iniciar uma higiene bucal infantil com o profissional da área pediátrica logo neste período é de receber orientações sobre a boa saúde bucal e também adquirir o hábito de ir ao dentista, o que é o mais importante.

 

Gostou do artigo ? Por favor, compartilhe !

Saúde bucal é coisa séria : conheça os hábitos nocivos aos dentes 0 (0)

Saúde bucal é coisa séria : conheça os hábitos nocivos aos dentes 0 (0)

Para ter boa saúde bucal não basta apenas fazer uma boa escovação e uso correto do fio dental, dentre outros cuidados para a manutenção e boa integridade dos dentes. Conheça 18 hábitos nocivos aos dentes que muitas vezes passa despercebido :

1 – Mastigar Gelo

estraga-o-dente-mastigar-gelo

Apesar de ser natural e sem açúcar, o gelo é aparentemente inofensivo, mas se mastigado, o cubos congelado pode trincar ou até mesmo quebrar os seus dentes e, além do mais uma mastigada estúpida nele pode irritar o tecido sensível dentro dos mesmos além de dores de dente regulares que podem surgir, da mesma forma que os alimentos frios e quentes também podem desencadear rápidas e afiadas dores de dente e de forma persistente. Da próxima vez que você sentir vontade de mastigar gelo, procure mascar um chiclete sem açúcar, que esse sim, contribui para boa saúde bucal.

2- Praticar esportes sem protetor dental

esportes-quebra-dentes

Se você joga futebol, hóquei, ou qualquer outro esporte de contato, não entre no jogo sem um protetor bucal, que é uma peça de plástico moldada que protege a fileira superior dos dentes. Sem ele, os dentes podem sofrer rachadura ou mesmo queda quando o impacto ocorre. Protetores bucais autoajustáveis podem ser comprados em loja do ramo ou você pode obter um personalizado pelo seu dentista.

3- Mamadeiras

dentes-e-mamadeira

Nunca é cedo demais para proteger os dentes e manter a saúde bucal : habituar o bebê a fazer uso de mamadeiras, seja para tomar o tradicional suco ou leite antes dormir, pode recrutar novos dentes para o caminho da decadência : o bebê pode adormecer com a garrafa em sua boca, desta forma, enchendo e fixando os dentes com açúcar durante a noite. O melhor a se fazer seria manter as mamadeiras longe do berço.

 4 – Piercings na língua

piercing-na-lingua

Piercings na língua podem até estar na moda, mas se um pino metálico for mordido eles poderão quebrar um dente. Piercings nos lábios representam o mesmo risco, pois quando o metal entra em atrito com as gengivas podem causar danos e levar à perda do mesmo. A boca, por ser um paraíso para as bactérias, aumenta o risco de infecções e feridas. Antes de usá-los discuta os riscos para a saúde bucal com o seu dentista.

5 – Ranger os dentes

ranger-os-dentes

Ranger os dentes ou bruxismo é outro grande inimigo da saúde bucal por desgastar os dentes ao longo do tempo. É mais frequentemente causado por estresse e hábitos noturnos e muitas vezes é difícil de controlar. Evitar alimentos duros durante o dia pode reduzir a dor e os danos causados por esse hábito. Usar um protetor bucal durante a noite pode evitar os danos causados pela fricção durante o sono.

6 – Pastilhas para tosse

pastilhas-para-tosse

Só porque as suas comercializações são indicadas para a tosse no campo medicinal não significa que eles sejam saudáveis. A maioria é carregada de açúcar, o que não é saudável para a saúde bucal. Então, depois de acalmar a sua garganta com o losango nunca se esqueça de escovar bem os dentes. O açúcar pode até favorecer a diminuição da tosse mas ele atuará como revestimento pegajoso nos dentes onde em seguida as bactérias converterão o açúcar em um ácido que corrói o esmalte do dente.

7 – Doces em geral

doces-prejudicam-os-dentes

Todas os guloseimas açucaradas sem exceção promovem a cárie dentária, porém, alguns doces são mais difíceis de suportar. Tais guloseimas penetram nos dentes devido aos seus açúcares e ácidos, especialmente se o contato direto com o esmalte prevalecer por horas. Se o seu dia se baseia geralmente no consumo deles prefira e opte por um lanche caso não possa fazer refeições normais o que seria o ideal pois mais saliva é produzido durante as mesmas, o que ajuda a neutralizar açúcares e ácidos dos dentes, desta forma, ajudando a manter a bosa saúde bucal.

OUTRAS PRÁTICAS QUE PODEM ACABAR COM A SAÚDE BUCAL

8 – Refrigerantes

refrigerantes-corroem-dentes

Refrigerantes podem ter até 10 colheres de chá de açúcar por porção. Para completar o estrago, refrigerantes também contém ácidos fosfóricos e cítricos que corroem o esmalte do dente, altamente nocivos à saúde bucal. Refrigerantes diet podem até não ter açúcar mas eles podem ter mais ácido dos que os refrigerantes convencionais sob a forma de adoçantes artificiais.

 9 – Abrir coisas com os dentes

abrir-coisas-com-os-dentes

Abrir tampas de garrafas ou embalagens de plástico com os dentes pode ser conveniente mas este é um hábito que os dentistas desaprovam, pois não fazem parte da cartilha para a manutenção da boa saúde bucal. Usando seus dentes como ferramentas pode causar desde trincamentos a rachaduras nos mesmos. Em vez disso, mantenha abridores de garrafa, tesouras, alicates e outras ferramentas à disposição pois os dentes servem para mastigar alimentos, além de exibir belos sorrisos.

10 – Bebidas esportivas

bebidas-esportivas-e-saude-dental

Não há dúvida de que bebidas esportivas especialmente frias ou geladas refrescam após um bom treino especialmente se for um dia de calor. Mas essas bebidas geralmente são ricas em açúcares ou carboidratos. Assim como refrigerantes e doces, bebidas esportivas açucaradas criam um ataque ácido sobre o esmalte dos seus dentes. Bebê-los com frequência pode levar à cárie, destruindo a saúde bucal. A melhor maneira de manter-se hidratado na academia é beber água livre de calorias, sem açúcar.

11 – Sucos de frutas

sucos-de-frutas

O suco de fruta é rico em vitaminas e antioxidantes mas infelizmente a maioria dos sucos também são carregados de açúcar. Alguns sucos podem até mesmo ter mais açúcar do que refrigerante, pois este contém apenas 10 gramas de açúcar a mais do que o suco de laranja. As frutas são naturalmente doces, sem a necessidade de ter mais adição de açúcar. Você também pode reduzir o teor de açúcar dos sucos de frutas através da diluição de água nos mesmos, e a sua saúde bucal agradecerá.

12 – Batatas Chips

batatas-chips-e-os-dentes

O ácido liberado pelas bactérias que atuam nos alimentos ricos em amido pode atacar os dentes em apenas 20 minutos, especialmente se o resto do alimento se impregnar entre eles ou pelas repetidas beliscadas em curtos intervalos de tempo. Você pode precisar usar o fio dental depois de comer batatas fritas e outros alimentos ricos em amido, que tendem a ficar preso nos dentes.

13- Mastigar lápis

mastigar-lápis

Você já mastigou lápis quando se concentra em trabalho ou estudos? Assim como mastigar gelo, este hábito pode lascar ou rachar os dentes. Para a boa saúde bucal, pastilha sem açúcar é a melhor opção quando você sentir necessidade de mastigar lápis. Ele irá acionar o fluxo de saliva, o que pode tornar os dentes mais fortes e proteger contra os ácidos que se alimentam de esmalte.

14 – Beber café

beber-café-amarela-os-dentes

Para os apreciadores, quem resiste a um cafezinho da tarde, não é mesmo ? De forma moderada, esporádica e especialmente sem açúcar, o seu consumo moderado não deixa de ser benéfico para a saúde e não atinge a saúde bucal, porém, também não deixa de causar amarelamento ao longo do tempo devido à acidez de sua cor escura. Felizmente, é uma das manchas mais fáceis de tratar com vários métodos de branqueamento. Converse com o seu dentista se você estiver preocupado com a descoloração dos seus dentes.

15 – Fumar

cigarro-amarela-os-dentes

Cigarros, bem como outros derivados do tabaco podem manchar os dentes e levá-los à queda devido ao resultado da periodontite (doença da gengiva), um grande inimigo da saúde bucal  e geral como um todo. Além do mais, o tabaco também pode causar câncer bucal, dos lábios e da língua. Se você estava procurando mais um motivo para parar de fumar, pense no seu sorriso.

16 – Beber vinho

vinho-mancha-dentes

Os ácidos presentes no vinho corroem o esmalte dos dentes, favorecendo também a destruição da saúde bucal, criando manchas ásperas que tornam os dentes mais vulneráveis à coloração. O vinho tinto também contém pigmentos profundos chamados cromogêneo e taninos, que favorecem a penetração colorida nos dentes. Esta combinação facilita para que a coloração do vinho tinto se fixe por bastante tempo mesmo após o seu copo ficar vazio. Consumi-los especialmente quando o cuidado dos dentes é precário, é outro grande fator destrutivo.

17 – Beber vinho branco

vinho-branco-e-saúde-bucal

Você deve ter pensado : “Então eu vou aderir ao vinho branco porque poupará os meus dentes”. Mas os ácidos também presentes no mesmo também enfraquecem o esmalte, deixando os dentes porosos e vulneráveis à coloração de outras bebidas tais como o café. Enxaguar a boca com água depois de beber ou usar creme dental com um agente de clareamento suave pode combater os efeitos coloridos dos vinhos tintos e brancos e ajuda a manter a saúde bucal.

18 – Compulsão alimentar

compulsão-por-alimentos-e-saúde-bucal

Muitas vezes ela envolve abuso de doces que podem levar ao aparecimento de cáries, onde além do mais, bulimia nervosa também pode causar danos à saúde bucal. Os fortes ácidos encontrados no vômito podem corroer os dentes, tornando-os quebradiços e fracos, que também podem causam mau hálito. A bulimia pode levar a uma variedade de problemas graves de saúde, por isso não deixe de conversar com seu médico se você tiver a tendência à ela.

Gostou deste artigo ? Por favor, compartilhe !

Doenças causadas pelo cigarro : conheça algumas delas à saúde bucal 0 (0)

Doenças causadas pelo cigarro : conheça algumas delas à saúde bucal 0 (0)

Conheça algumas das enfermidades e doenças causadas pelo cigarro, maléficas para a sua saúde bucal :

Por que fumar pode levar à gengivite?

Doenças causadas pelo cigarro surgem pelo uso de produtos à base de tabaco, dentre elas, as doenças da gengiva, por afetar a fixação do osso e o tecido mole para seus dentes. Mais especificamente, fumar interfere na função normal das células do tecido da gengiva.

Esta interferência faz com que os fumantes estejam mais suscetíveis a doenças causadas pelo cigarro tais como a doença periodontal, que também prejudicam o fluxo sanguíneo para as gengivas, o que pode afetar a cicatrização de feridas.

Todo tipo de fumo causa doenças dentárias?

Sim. Assim como cigarros, cachimbos e charutos também causam doenças bucais afetando a saúde dental.

De acordo com os resultados de um longo estudo de 23 anos os fumantes de charutos experimentam a perda do alvéolo dentário e a perda óssea (perda óssea no maxilar que ancora dentes) com taxas equivalentes às de fumantes de cigarro.

Fumantes de cachimbo também têm fazem parte do grupo de classificação dad doenças causadas pelo cigarro, como por exemplo, por estarem expostos ao semelhante risco de perda dentária como todo fumante de cigarro.

Além destes riscos, cachimbos e charutos também causam aos seus fumantes o risco de câncer de boca e faringe (garganta).

Mesmo que eles não inalem a fumaça, além de outras consequências orais, causam mau hálito, dentes manchados e o aumento do risco de periodontite (doença da gengiva).

 

Então quer dizer que produtos à base do tabaco sem fumaça são seguros ?

Não. Assim como charutos e cigarros, produtos de tabaco mesmo sem fumaça (rapé e fumo de mascar por exemplo) contêm pelo menos 28 produtos químicos que têm mostrado tendência para o risco de câncer de boca, câncer de garganta e esôfago.

Na verdade, fumo de mascar contém níveis mais elevados de nicotina do que de cigarros, tornando mais difícil parar de fumar do que os cigarros. E uma lata de rapé possui mais nicotina do que mais de 60 cigarros.

Além do mais, o tabaco sem fumaça pode irritar o seu tecido gengival, causando o recuo e o afastamento entre os dentes. Uma vez que o tecido da gengiva recua as raízes dos dentes se tornam expostas, criando um risco aumentado de cárie dentária.

Raízes expostas também são mais sensíveis à temperaturas tanto frias quanto quentes além de outros fatores irritantes, tornando desconfortável no beber e no comer. Além disso, os açúcares, que são muitas vezes adicionados para melhorar o sabor do tabaco sem fumaça, pode aumentar ainda mais o risco de cárie dentária.

Um estudo publicado no Journal of the American Dental Association mostrou usuários que mascam tabaco foram quatro vezes mais propensos que os não usuários de desenvolverem cárie dentária e outras doenças causadas pelo cigarro e seus derivados.

Tabaco sem fumaça também contém tipicamente areia e outros detritos, que podem desgastar os dentes.

abandonar-cigarro

Abandone o hábito de fumar

Independentemente de quanto tempo você faz uso de derivados do tabaco como cigarros, parar agora pode reduzir muito os sérios riscos para a sua saúde e outras doenças causadas pelo cigarro .

11 anos após parar de fumar, o risco de ex-fumantes desenvolverem periodontite não foi diferente das pessoas que nunca fumaram. Reduzir a quantidade que se fuma já é um bom começo.

Um estudo descobriu que fumantes que reduziram o hábito de fumar menos de meio maço por dia tinham apenas três vezes o risco de desenvolverem doença de gengiva e outras doenças causadas pelo cigarro, em comparação com os não fumantes.

Outro estudo publicado no Journal of the American Dental Association constatou que uma boca com lesão de leucoplasia foi completamente sarada dentro de 6 semanas após 97,5% dos pacientes pararem de fumar derivados de tabaco sem fumaça. Algumas estatísticas apresentam outras sérias razões para parar de fumar.

Elas afirmam que, cerca de 90% das pessoas que desenvolvem câncer da boca, lábios, língua, garganta é por fazer uso de tabaco, cigarros, etc, sofreram o risco de desenvolverem esses tipos de cânceres aumentado devido à quantidade fumada ou mastigada.

Fumantes são seis vezes mais propensos do que os não fumantes a desenvolverem esses tipos de câncer :cerca de 37% dos pacientes que voltam a fumar após aparente cura de seus cânceres voltam a desenvolver um segundo câncer da boca, lábios, língua e garganta, em comparação com apenas 6% das pessoas que param de fumar.

Como posso deixar de fumar ?

Para parar de fumar é uma virtude que o seu dentista ou médico pode ajudá-lo e orientá-lo em como diminuir o desejo por nicotina com medicamentos tais como goma de nicotina dentre outros.

Alguns destes produtos podem ser adquiridos em farmácias e outros exigem receita médica.

Aulas de cessação do tabagismo e grupos de apoio são muitas vezes utilizados em conjunto com a terapia medicamentosa.

Estes programas são oferecidos através de hospitais e ong’s locais em sua comunidade e, por vezes, através de seu empregador ou seguro saúde particular ou da empresa.

Pergunte ao seu médico ou dentista para obter informações sobre programas similares que possam estar familiarizado.

 

Gostou deste artigo ? Por favor, compartilhe !