Higiene bucal infantil – conheça 9 mitos para questionar 0 (0)

Higiene bucal infantil – conheça 9 mitos para questionar 0 (0)

Sobre o assunto higiene bucal infantil, alguns acreditam que dominam o assunto em suas casas e famílias – mas os números alarmantes mostram que um terço delas começam a estudar já com cárie, o que mostra que não sejam os tais experientes que imaginavam ser.

Em alguns países (e no Brasil não pode deixar de ser diferente), internações de crianças em idade escolar primária por causa de cárie dental é uma realidade, onde quase 26 mil crianças com idade entre 5 e 9 anos foram internadas no hospital devido a várias extrações : quase 500 por semana.

Atualmente a saúde bucal é melhor do que a 30 anos atrás mas as melhorias declinaram quase na mesma proporção, e problemas tais como cárie dental tiveram relevante ascensão.

Dentistas apoiam que todos nós precisamos ficar melhores informados sobre a saúde dental das crianças. Então, segue 9 mitos populares sobre higiene bucal infantil :

 

1. “O suco de fruta é saudável”

Pode ate´ser saudável mas é tão nocivo quanto os refrigerantes são para os dentes, por dois motivos: açúcar e ácido.

Suco de laranja por exemplo, contém tanto açúcar quanto uma lata de coca cola (cerca de 10 g por 100 ml – ou 6 colheres de chá num copo de 250 ml) e suco de maçã possui ainda mais, pois é o açúcar que causa a cárie dentária enquanto que o ácido do suco corrói o esmalte – em casos extremos os dentes das crianças podem ser reduzidos a tocos.

As únicas bebidas que os dentistas recomendam são água e leite. Se eles desejarem sucos de frutas, o melhor a fazer é diluí-los em água ao máximo que puder e certifique-se de que sejam consumidos rapidamente para minimizar o tempo de contato com os dentes.

Diante deste contexto caótico para os mesmos, uma das piores coisas é se deparar com uma criança vagando pela casa com um copo de canudinho embutido tomando suco aos goles de hora em hora.

criança-bebendo-suco-de-frutaSucos de frutas podem ser saudáveis mas são tão destrutivos para os dentes quanto os refrigerantes.

 

2. “Para eles frutas secas são melhores do que chocolate”

Boa parte, senão toda uma geração de pais cresceu com a cultura do consumo de frutas secas tais como uvas passas, que sempre foram uma alternativa mais saudável aos doces e chocolates, mas infelizmente isso não é verdade, embora sejam muito saudáveis.

Dentistas também tem olhares críticos sobre elas porque também são cheias de açúcar além de serem pegajosas para os dentes, logo, também avariam o esmalte dos dentes, que se não houver um rígido acompanhamento e cuidado como por exemplo a escovação dos dentes após o seu consumo, também podem apodrecê-los.

Por outro lado, a boa notícia é que o melhor tratamento é algo que sai dos dentes rapidamente, e é por isso que o chocolate (quanto mais amargo melhor para os dentes e também para a saúde) é melhor do que frutas secas. Lanches mais seguros também incluem torradas integrais, queijo branco, nozes e sementes.

 

3. “Não se preocupe com os dentes de leite”

Isso parece ter uma certa lógica pelo fato dos “dentes de leite virem um dia cair de qualquer maneira”, mas isso é desastrosamente errado de levar ao pé da letra pois eles duram até a idade de 10 a 12 anos,ou seja, eles são uma mistura de dentes de leite com permanentes.

Se as cáries já habitam nos dentes de leite, os permanentes estarão comprometidos por causa desta corrosiva presença e também serão mais difíceis de serem eliminadas.

Neste caso, as extrações  poderão ser traumáticas, o que pode significar que as crianças seriam mais relutantes em visitar o dentista no futuro.

criança-visita-dentistaPara uma boa e efetiva higiene bucal infantil, a primeira visita ao dentista deve ser feita assim que os primeiros dentes começarem a nascer.

 

4. “Na higiene bucal infantil, os pais devem deixar as crianças escovarem os seus próprios dentes a partir dos 5 anos de idade”

O conselho ideal é de que os pais escovem os dentes de seus filhos até os 7 anos dependendo da maturidade do seu filho.

Isso garante que o pincel atinja todos os dentes durante a escovação para uma boa higiene bucal infantil, porém, é importante que os pais escovem os dentes das crianças ou pelo menos supervisionem até os 11, 12 anos de idade até que todos os dentes permanentes estejam plenamente estabelecidos, desta forma, minimizando a chance de possível decadência.

Já existe no mercado nacional um plano odontológico destinado exclusivamente para o púbico infantil, saiba mais aqui.

garotinho-comendo-iogurteConstantes atritos sem um plano específico de horários certos para alimentação é ruim para os dentes de leite na higiene bucal infantil, mesmo que consumam alimentos saudáveis com frequência durante um dia inteiro tais como iogurtes.

5. “Comer frutas é bom para os dentes”

Comer uma fruta inteira é muito melhor e mais saudável do que beber suco de frutas, porque, embora a fruta contenha açúcar, também possui fibra “que neutraliza os efeitos nocivos da frutose quando consumida comendo”, segundo o renomado cardiologista e nutrólogo Dr.Lair Ribeiro.

Por outro lado, quando se bebe o suco da fruta, o líquido e os açúcares passam longe dos dentes mas a frutose desce sem a fibra, o que não é nada saudável. Sendo assim, o ideal é comer a fruta.

Por ela ser um alimento importante o ideal seria dar de comer de 2 a 5 frutas por dia, mas essa sugestão de quantidade se enquadraria às crianças que não apreciam verduras e nem legumes  de jeito nenhum (às vezes por falta de estímulo dos pais).

Fora destas condições, quando a variedade de legumes e verduras faz parte da refeição, ater-se a uma ou duas frutas por dia no máximo está de bom tamanho, além de optar por frutas de baixo açúcar tais como morangos, framboesas, kiwis, pêssegos e pêras, em vez dos ricos em açúcar como uvas e abacaxi.

6. “As crianças devem escovar os dentes depois de comer”

Isso parece coerente para uma efetiva higiene bucal infantil mas na verdade é uma das piores coisas que você pode fazer, especialmente depois de comer ou beber algo ácido.

O motivo é que o ácido dos alimentos “desmineraliza” o dente além de amolecer o esmalte por uma hora após a refeição.

Se você escovar os dentes logo depois de comer você pode acabar literalmente desgastando o esmalte do dente, gradualmente e a longo prazo.

Sempre esperar pelo menos 1 hora após um simples mas caprichado enxague bucal com água e, se beberem suco no café da manhã, é melhor escovarem os dentes antes e não após a refeição.

É também sugerível para os filhos entre 12 e 17 anos mascarem chicletes sem açúcar para por 20 minutos após uma refeição pois eles estimulam a boca a produzir saliva, que é a nossa principal defesa contra as cáries, por neutralizarem os ácidos e induzindo a boca ao nível de pH neutro, além de favorecerem na mineralização dos dentes.

7. “Lanches saudáveis são tão bons quanto refeições normais”

Isso pode até ser verdade nutricionalmente mas o hábito de comer lanches de forma frequente e constante, mesmo saudáveis, é incrivelmente ruim para os dentes tais como as frutas, barras de cereais, iogurtes e cereais matinais.

Não é somente pela quantidade de açúcar, mas também pela frequência com que os dentes estão submetidos aos constantes ataques.

Mas isso não significa que jamais se deve sair da regra, abrir uma exceção, pois todos nós vivemos em um mundo real e as crianças são as primeiras a desejarem lanches.

Geralmente os dentes suportam 3 refeições e 3 lanches por dia, por isso, enquanto os bons dias superam os maus, deixemos rolar.

O que não pode fazer é comer somente lanches durante o dia: como o ataque ácido dura uma hora após cada evento, significa efetivamente que os dentes estão constantemente sob ataque.

8. “Escovas de dente elétricas são mais eficazes na higiene bucal infantil”

Se os seus filhos escovam os dentes além cada parte da boca por dois minutos pelo menos, não importa se a escova é manual ou elétrica, mas segundo pesquisas, apenas um quarto das crianças com idade média de 8 anos sabem gerenciar  2 minutos de escovação, sendo assim, o temporizador que normalmente vem com escovas elétricas podem fazer toda a diferença.

Dois minutos é muito tempo para uma criança, então neste caso o temporizador se torna o diferencial da escova elétrica.

9. “Você não precisa levar os seus filhos ao dentista até o seu primeiro aniversário”

Segundo uma pesquisa realizada, 57% dos pais esperaram até que seus filhos completassem pelo menos 1 ano de idade para levá-los ao dentista, mas a primeira visita deve ser logo que os dentes começam a nascer, que já começa a ocorrer antes deste tempo.

A vantagem e o benefício de levá-los ao dentista para iniciar uma higiene bucal infantil com o profissional da área pediátrica logo neste período é de receber orientações sobre a boa saúde bucal e também adquirir o hábito de ir ao dentista, o que é o mais importante.

 

Gostou do artigo ? Por favor, compartilhe !

Saúde Dental e Saúde Geral 0 (0)

Saúde Dental e Saúde Geral 0 (0)

A condição de sua boca está intimamente ligada à sua saúde geral. Descubra como a saúde bucal está ligada a diabetes, doenças cardíacas, câncer e muito mais.

Cuidar de seus dentes não é apenas ter um belo sorriso e hálito agradável. Uma pesquisa recente revelou uma série de ligações entre saúde bucal e saúde em geral.

Embora em muitos casos, a natureza dessa ligação ainda não esteja clara, os pesquisadores ainda têm de concluir se as conexões são por causas ou correlativas.

A certeza é que a condição de sua boca está intimamente ligada à sua saúde física geral.

Saúde Dental e Diabetes

Os médicos sabem há anos que os diabéticos tipo 2 têm maior incidência de periodontite ou doença gengival.

Em julho de 2008 a conexão ficou mais evidente: pesquisadores da Escola Mailman de Saúde Pública da Universidade de Columbia seguido 9.296 participantes não-diabéticos, mediram os seus níveis de bactérias periodontais ao longo de 20 anos.

“Descobrimos que as pessoas que tinham níveis mais elevados de doença periodontal tiveram um risco duas vezes maior de desenvolver diabetes tipo 2 ao longo desse período em comparação com as pessoas com níveis baixos ou sem a doença”, explica Ryan Demmer, PhD, pesquisador associado no Departamento de Epidemiologia na Escola Mailman e autor.

Enquanto mais pesquisas são necessárias antes que os médicos possam concluir que a doença periodontal, na verdade, leva à diabetes, já existem algumas teorias sobre por que isso pode ser o caso: uma propõe que quando as infecções na boca ficam ruim o suficiente, elas podem levar à baixa qualidade e inflamação por todo o corpo, que por sua vez causa estragos em suas habilidades de processamento de açúcar.

“Há todos os tipos de moléculas inflamatórias”, diz Dr. Demmer “, e acredita-se que talvez algumas atribuem a receptores de insulina e impedem as células do corpo de utilizar a insulina para obter glicose para dentro da célula.”

Saúde bucal e doença cardíaca

Tal como acontece com diabetes, a ligação entre má saúde bucal e doenças cardiovasculares tem sido reconhecido – os dois são frequentemente encontrados juntos, mas ainda não foi determinado de forma conclusiva se existe ou não uma relação direta entre eles (uma razão é que há uma série de outros fatores de riscos potenciais, como o tabagismo e a idade avançada,  q​ue também pode levar tanto à gengivite como também à doença cardíaca).

No entanto, em um estudo de 2005 financiado pelo NIH, 1.056 participantes selecionados aleatoriamente que jamais sofreram ataques cardíacos anteriores ou acidentes vasculares cerebrais foram avaliados por níveis de bactérias periodontais: depois de remover os efeitos de outros fatores de risco como idade, sexo e tabagismo, constatou-se que houve uma relação independente entre doença gengival e doença cardíaca, diz Moise Desvarieux , MD, PhD, professor associado de epidemiologia na Escola Mailman e autor principal do estudo.

Uma teoria sobre por que isso pode ocorrer, diz o Dr. Desvarieux que pequenas quantidades de bactérias entram na corrente sanguínea, enquanto você está mastigando.

Bactérias “ruins” de uma boca infectada podem apresentar-se dentro dos vasos sanguíneos, em última análise, causando bloqueios perigosos. Reforçar a sua teoria é o fato de que quando os cientistas analisaram os vasos sanguíneos ateroscleróticos, por vezes, encontraram fragmentos de bactérias periodontais.

Enquanto isso, um estudo publicado no New England Journal of Medicine, em 2007, estabeleceu que o tratamento agressivo da doença gengival reduz a incidência de aterosclerose no prazo de seis meses.

Complicações na gravidez e periodontite

Para muitas mulheres grávidas, infecções na gengiva decorrem pela flutuação dos níveis hormonais que vêm acompanhada com a gravidez, diz Marsha Rubin, DDS, diplomata da odontologia nos cuidados especiais de New York-Presbyterian / Weill Cornell, que observou muitas pacientes grávidas em sua prática. Outras negligenciam a higiene bucal durante a gravidez, já que elas têm muito em suas mentes, acrescenta.

Mas isso é um erro: os cientistas acreditam que a doença periodontal ou inflamação na boca, possivelmente, desencadeia um aumento de um composto químico chamado prostaglandina, que induz ao parto prematuro.

Embora esta teoria ainda não foi confirmada, um estudo de 2001 descobriu que as mulheres grávidas que desenvolvem a doença entre a vigésima primeira e a vigésima quarta semana possuem de quatro a sete vezes mais probabilidades de dar à luz antes da trigésima quinta e a trigésima sétima semana.

Há evidências de que a saúde precária  na periodontite aguda pode levar ao baixo peso ao nascer também. Uma série de estudos – incluindo um estudo de 3.567 mulheres turcas 2007 e um estudo de 1.305 mulheres brasileiras em 2007 – encontrou uma relação entre a doença periodontal, parto prematuro e baixo peso ao nascer.

Pneumonia e periodontite Houve uma ligação estabelecida entre má saúde bucal e pneumonia, embora grande parte da pesquisa se ​​concentra em populações de alto risco.

Um estudo de 2008 descobriu idosos participantes de que o número que desenvolveu pneumonia foi 3,9 vezes maior nos pacientes com infecção periodontal do que naqueles livres dela.

“Os pulmões estão muito perto da boca”, diz Rubin. “Mesmo em uma boca saudável, há lotes de bactérias, mas em uma boca não-saudável pode se aspirados para dentro dos pulmões, causando pneumonia e DPOC agravante, doença pulmonar obstrutiva crônica.”

Vários estudos de intervenção citadas pelo CDC mostram que uma melhoria na saúde oral podem conduzir a uma redução na infecção respiratória. Cancro do pâncreas e periodontite Um estudo publicado em 2007 no Journal of the National Cancer Institute forma pesquisados ​​51,529 homens americanos sobre a sua saúde a cada dois anos, entre 1986 e 2002.

Dos 216 participantes que desenvolveram câncer de pâncreas, 67 deles também tinha a doença periodontal. Independente do grau de tabagismo dos participantes, o estudo descobriu que ter um histórico de doença periodontal foi associado com um risco aumentado de câncer de pâncreas.

Este, de acordo com o estudo, poderia ser por causa de inflamação sistêmica ou aumento dos níveis de compostos cancerígenos produzidos na boca infectada. Curiosamente, uma outra teoria viável diz o por quê a periodontite também poder causar diabetes tipo 2 por danificar ao pâncreas também.

“Com o estudo do câncer de pâncreas, nós pensamos que era muito interessante que você tem essa infecção localizada que tem um impacto sobre um órgão sistêmico que está muito intimamente ligado à fisiopatologia do diabetes”, diz Dr. Desvarieux.

Razões pelas quais isso pode ser ainda desconhecidos.

Acrescente vida aos seus dentes 0 (0)

Acrescente vida aos seus dentes 0 (0)

Aumente a expectativa de vida aos seus dentes e mantenha-os protegidos com essas 11 dicas caseiras sobre como consumir determinados alimentos e bebidas : O chá é uma bebida saudável, porém, pode não ser uma boa escolha para manter os seus dentes claros. Além do mais,...

read more

Sorriso bonito e saudável para você e sua família !

Contrate o plano Amil Dental Pessoa Física totalmente online e ganhe 15% de desconto e isenção de carências, no pagamento com cartão de crédito ou boleto à vista.