(11) 96207-1062 [Whatsapp]

Após a aquisição de sua cota de consórcio de imóvel ou auto (bens móveis, seja grupo novo em formação ou grupos em andamento, você precisa saber de 10 coisas importantes que favorecerão o seu sucesso :

 

1 – Você pode escolher o fornecedor e bem/serviço que desejar 

No consórcio, você tem liberdade para comprar o bem ou serviço que desejar, desde que pertencente à mesma categoria do bem contratado. Assim, se você tem consórcio para comprar um veículo, pode escolher uma moto, um caminhão, uma embarcação e até um trator – da marca e do modelo que desejar – pois eles estão na mesma categoria definida pelo Banco Central do Brasil.

Também pode escolher o fornecedor que lhe convier. Você tem inúmeras outras possibilidades para tirar o melhor proveito do crédito do seu consórcio.
Vale a pena saber mais sobre esse assunto !

 

2 – As parcelas são atualizadas mesmo após a contemplação

A atualização das parcelas do consórcio ocorre mesmo que você já tenha sido contemplado e tenha utilizado o crédito vigente na data da contemplação. Isso acontece para garantir o poder de compra dos participantes do grupo, do início ao fim do contrato.

Importante ressaltar que não há quantia a ser restituída a quem já utilizou o crédito e paga parcelas atualizadas, pois 100% desse valor é utilizado em prol do grupo. Sem a contribuição de todos com parcelas atualizadas, não seria possível arrecadar o necessário para realizar contemplações nos novos valores.

E com o valor desatualizado, os demais participantes não conseguiriam adquirir o bem ou serviço desejado. A atualização das parcelas ocorre por conta da correção do crédito, nos termos do contrato. No caso do critério ser um índice econômico, por exemplo, a correção é anual.

Se for o preço sugerido pela montadora ou fabricante, a correção ocorre sempre que os valores são alterados. A atualização pode ocorrer tanto para mais, quanto para menos, e até não ocorrer, se o índice for nulo.

 

3 – Antecipando a quitação você não por futuras atualizações de crédito

A quitação do consórcio antes da contemplação é possível apenas se estiver previsto em contrato, e não dá direito à contemplação. Nesse caso, se sua intenção é ter acesso ao crédito, você pode utilizar a quantia poupada para ofertar lances.

Já após a contemplação, o pagamento antecipado é direito do consumidor. E há benefícios: além de eliminar a dívida, você não pagará por futuras atualizações das parcelas. A exceção é se houver atualização entre a data de pagamento e a data da próxima Assembleia Geral Ordinária, que é
quando o pagamento é efetivado.

 

4 – Após a contemplação o crédito o crédito recebe rendimentos financeiros

Após a contemplação, seu crédito deixa de ser atualizado conforme critérios estabelecidos em contrato e passa a ter rendimentos de aplicações financeiras. Essas são definidas pelos próprios participantes na primeira Assembleia Geral Ordinária do grupo e constam na ata de abertura do
grupo.

Os rendimentos são contabilizados da data de disponibilização (que ocorre até o terceiro dia útil após a contemplação) até o primeiro dia útil antes da utilização do crédito.

 

5 – Se atrasar prestação, deixa de participar dos sorteios, e perda de bem

O atraso no pagamento das parcelas do consórcio é extremamente prejudicial para o consorciado. Neste caso, se você ainda não foi contemplado, deixará de participar dos sorteios. Se já foi contemplado e não utilizou o crédito, a contemplação não será efetivada.

E, caso já tenha utilizado o crédito, a administradora poderá executar as garantias e solicitar a retomada do bem. Além de todas essas consequências, você ainda terá que arcar com custos extras de multas e juros, conforme estabelecido em contrato, para regularizar a situação.

Se esse for o seu caso, a primeira dica é: procure sua administradora e tente fazer um acordo. A empresa certamente fará o possível para ajudá-lo. E, se ainda não tiver sido contemplado e perceber que, por algum motivo, não conseguirá pagar as prestações, você pode, com a concordância da
administradora, optar por um bem ou serviço de menor valor.

Assim, sua prestação ficará menor. Outra opção é transferir sua cota para outra pessoa.

 

6 – Para usar o crédito é preciso apresentar garantias

Consórcio é autofinanciamento, ou seja, os recursos utilizados nas contemplações pertencem aos próprios participantes. Dessa forma, se um consorciado que já utilizou o crédito deixa de pagar suas parcelas, o grupo terá seu caixa comprometido, diminuindo a quantidade de contemplações.

Por isso, a administradora precisa ser rigorosa ao liberar o crédito para você ou para qualquer outro participante, buscando minimizar os prejuízos em
caso de inadimplência.

Além da garantia principal, a administradora também é autorizada pela Lei dos Consórcios a solicitar garantias complementares, desde que estabelecido em contrato. Assim, se o consorciado é contemplado no início do grupo e seu saldo devedor é alto, além do próprio bem, a administradora pode solicitar um fiador, por exemplo.

 

7 – Receba saldos remanescentes do fundo comum e de reserva

A cobrança de fundo de reserva é facultativa, cabendo à administradora avaliar e definir, antes da formação do grupo, se ela será realizada ou não. Se sim, o percentual devido deve estar fixado em contrato, visto que ele incide sobre o valor do bem ou serviço objeto do plano e compõe a prestação
do consórcio.

Neste caso, quando do encerramento do grupo, se houver saldo neste fundo, você receberá o proporcional ao que foi pago. Caso haja saldo no fundo comum, ele também será devolvido proporcionalmente aos participantes do grupo. Pode haver saldo no fundo comum referente a multas e
juros cobradas dos inadimplentes e aplicações financeiras.

 

8 – É possível transferir o contrato para outra pessoa

É possível transferir seu contrato de consórcio para outra pessoa, desde que o procedimento seja aprovado pela administradora. Primeiramente, você deve conferir no contrato se a transferência de cota está prevista e quais suas condições – como pagamento de taxa.

Em geral, ela é permitida tanto para cota contemplada quanto para não contemplada. No caso de não contemplada, a administradora analisará a capacidade financeira do novo titular. Já em caso de contemplação, além da capacidade financeira, a administradora solicitará garantias.

É importante estar seguro antes de fazer qualquer negociação. Isso porque pode haver outra solução, por exemplo: se você está com dificuldades no pagamento, sua administradora de consórcios pode reduzir o valor do seu crédito e, assim, diminuir o valor da sua prestação.

Já se seus objetivos mudaram e você deseja adquirir outro bem ou serviço, a administradora pode aumentar seu crédito. Logo, antes de tomar qualquer decisão, procure sua administradora e analise bem todas as possibilidades.

 

9 – Em caso de desistência,você participa dos sorteios para receber valores

O consorciado que deixa o grupo de consórcio continua participando dos sorteios para reaver parte do valor pago ao ser contemplado. São devolvidas
as quantias pagas referentes ao fundo comum (que é o valor destinado à compra do bem ou contratação do serviço) vigente na data da contemplação.

Não são restituídos valores pagos referentes à taxa de administração e fundo de reserva e/ou seguros, se contratados, e é possível ainda que seja aplicada uma cláusula penal por quebra do contrato. Confira as condições estabelecidas em seu contrato de adesão.

 

10 – As prestações de contas são disponibilizadas aos consorciados

A administradora disponibiliza mensalmente o demonstrativo individual do consorciado, contendo valor devido, valor pago, percentual amortizado, dentre outras informações que mostram sua situação no grupo de consórcio.

Também disponibiliza, física ou eletronicamente, a última demonstração de variações nas disponibilidades do grupo. Essas informações também são apresentadas durante as Assembleias Gerais Ordinárias, cujo objetivo determinado em lei, além de realizar as contemplações, é prestar contas e tirar dúvidas dos consorciados.

Ainda, nos boletos constam diversas informações referentes às cobranças, como contribuição mensal ao fundo comum, taxa de administração, fundo de reserva e seguro (se contratados), diferença ou reajuste de contribuição, reajuste de saldo de caixa, multa e juros moratórios, valor total da contribuição, preço do bem e valor do crédito para sua aquisição, na data-base da assembleia, ainda que por estimativa.

 

SAIBA AQUI SOBRE O CONSÓRCIO DA PORTO

Fale com a gente !

Tipo de Consórcio

Já conhece o Consórcio ?

7 + 9 =

Carta de crédito de Imóvel de 100 mil 5 (1)

Carta de crédito de Imóvel de 100 mil 5 (1)

Carta de crédito de imóvel de 100 mil da Porto Seguro para você utilizar para complementar com recurso próprio, FGTS, para aquisição de terrenos, construir, reformar, comprar imóvel, ou mesmo deixar rendendo a títulos público após a contemplação até o momento da...

read more

Gostou deste conteúdo ?

Avalie !

Classificação média 5 / 5. Número de votos 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.